3
1

Agente da Polícia Nacional assalta uma boutique em Luanda

Um agente da Polícia Nacional foi, esta semana, em Luanda, detido pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), por ter assaltado uma boutique em Agosto deste ano, onde roubou várias peças de valor.

1
2
Redacção
Fotografia
:
DR
Redacção

O acusado, segundo o Jornal de Angola, roubou peças de roupas avaliados em 600 mil kwanzas e quatro telefones celulares, avaliados em dois milhões e 785 mil kwanzas.

Ao detalhar a cena do crime, o porta-voz do Serviço de Investigação Criminal de Luanda, superintendente Fernando de Carvalho, explicou que o agente da Polícia Nacional tentou, no dia 29 do mês passado, roubar quatro telemóveis da marca Sansung Galax e Iphone, pertença de um cidadão da Serra Leoa. 

O responsável esclareceu, na sequência da sua intervenção, que o crime aconteceu quando o agente da Polícia Nacional contactou, por telefone, a vítima, alegando que se encontrava na companhia de quatro cidadãos libaneses interessados na compra de aparelhos de telemóveis top de gama que este tinha à venda.

Interessado no negócio, conta o porta-voz do SIC na província de Luanda, a vítima combinou com o suposto intermediário o local do encontro, numa loja localizada na rua 13 do bairro Mártires de Kifangondo, Distrito Urbano da Maianga, em Luanda.

O agente da Polícia Nacional acusado de estar implicado no referido acto criminoso, fez-se ao local combinado numa viatura de marca Toyota, modelo VXR, cor preta, também apreendida pelas autoridades policiais.

Ainda de acordo com a fonte do SIC, o agente da Polícia Nacional convenceu o cidadão serra leonense, proprietário dos telemóveis, a subir na viatura com a mercadoria, para supostamente ir ao encontro dos compradores, tendo sugerido que levasse o Terminal de Pagamento Automático (TPA), para débito da conta.

Já no interior da viatura, o comerciante foi levado até à rua Major Kanhangulo, na Baixa de Luanda, onde, depois de estacionar a viatura, desceu simulando estar a contactar os compradores de nacionalidades libaneses.

Resistência ao assalto

No regresso, após trancar as portas do Toyota VXR, anunciou o assalto, empunhando arma de fogo, tendo recebido os telefones, dinheiro e outros haveres do cidadão estrangeiro.

Na tentativa de desarmar o acusado, o cidadão da Serra Leoa foi alvejado na sequência de três disparos de uma arma de fogo efectuados pelo acusado, tendo sido ferido na mão esquerda com um dos projécteis.

Segundo escreve o Jornal de Angola, a luta entre o suposto marginal e o cidadão estrangeiro, foi intenso a tal ponto que durante o conflito, a vítima ainda conseguiu amarrar ao pescoço, com um dos cintos de segurança da viatura, transformando a viatura numa quadra de "luta livre".

Já sem alternativa, o acusado tentou a fuga, mas foi logo apanhado por transeuntes, que por perto acompanhavam a cena, que posteriormente o entregaram à tutela da Polícia Nacional.

Sabe-se por meio da Polícia que o Toyota VXR usado no assalto era emprestado e o proprietário disse ter apresentado queixa-crime à Polícia Nacional.

O proprietário da viatura, esclareceu, ainda, que emprestou o seu carro, porque o amigo (acusado) lhe tinha dado garantias de que iria apenas fazer o levantamento de 17 milhões de kwanzas, fruto de um negócio, no qual precisava de se fazer transportar numa viatura top de gama, para dar nas vistas, mas desapareceu durante alguns dias sem dar sinais. 

O homem, que não revelou a sua identidade, mostrou-se surpreendido pela quantidade de crimes imputados ao amigo, todos eles efectuados com recurso a arma de fogo e uso da sua viatura, que ontem lhe foi restituída pelo Serviço de Investigação Criminal.

7