3
1

Cabo Verde estabelece meta de ter um quarto da frota automóvel eléctrica até 2026

O Governo definiu a meta de ter até 2026 um quarto da sua frota automóvel composta por veículos eléctricos, que sobe para 30% nas viaturas a adquirir pela administração pública.

1
2
Fotografia
:
DR

A meta do governo é chegar aos 100% de carros eléctricos até 2030. O Programa do Governo da nova legislatura (2021-2026), que é discutido nesta segunda-feira no parlamento e que obriga à votação de uma moção de confiança ao executivo, prevê, no entanto, a implementação da Carta de Política para a Mobilidade Eléctrica a nível nacional.

Essa implementação será feita, segundo o documento em posse da agência portuguesa de notícias (LUSA), “através de um amplo programa visando até 2026 a substituição de um quarto da frota nacional, incluindo transportes de passageiros, escolares, minibus e táxis por veículos eléctricos”.

O documento tornará obrigatório nas aquisições de viaturas para a administração pública, chefias e membros do Governo que “pelo menos 30%” sejam veículos elétricos.

“O Governo reforçará as medidas para o aumento da instalação de infra-estruturas de carregamento de veículos eléctricos, com licenciamento de exploração a operadores privados em todas ilhas e para a criação, instalação e operacionalização de uma plataforma para a gestão (informação e licenciamento de operadores) da mobilidade eléctrica em Cabo Verde”, aponta ainda o documento.

Segundo a LUSA, está igualmente previsto o incentivo e promoção da mobilidade elétrica na economia marítima, designadamente através da aquisição de motores eléctricos, incluindo baterias e painéis, para embarcações de pesca.

O Governo assume, ainda, neste sentido, o compromisso de avançar com a reforma da estrutura organizacional do mercado energético do país, através da “implementação do novo figurino da estrutura de organização do sector elétrico mediante separação vertical e criação da figura do Operador Nacional do Sistema e Comprador Universal da energia produzida por produtores independentes”.

“Essa nova entidade, coração do sistema elétrico, vai garantir uma operação transparente do despacho dos produtores, bem como do sistema de controle e de gestão dos fluxos financeiros dentro da cadeia de valor”, garante o Governo, que continua a ser liderado por Ulisses Correia e Silva, no documento para a legislatura, que se iniciou em maio.

7
Assine a Revista Digital - Economia & MercadoAssine a Revista Digital - Economia & Mercado