3
1

Covid-19: Avizinha-se uma explosão de casos em África, alerta director do CDC África

O Centro de Controlo de Doenças da União Africana (África CDC) prevê um pico do Covid-19 em África em Abril, com os países a apresentar diferentes níveis de propagação da doença.

1
2
Fotografia
:
DR

O director do Centro de Controlo de Doenças da União Africana (África CDC) adverti, ontem, dia  2, em Addis Abeba, que África está a testemunhar a madrugada da pandemia do novo coronavírus e que em breve as comunidades vão experimentar uma explosão de casos.

"Sempre dissemos que África ainda está a testemunhar a madrugada da pandemia. Teremos um pico, mas não consigo dizer se dentro de duas semanas ou uma semana ou menos porque há muitos factores que podem determinar isso”, afirmou John Nkengasong, para quem "é apenas uma questão de tempo".

“Projectamos que, no final de Abril, vamos começar a ver países a ultrapassarem a marca das 10 mil infecções", acrescentou aquele responsável, para quem “vários países terão o seu pico em níveis diferentes".

John Nkengasong revelou, no balanço semanal feito a jornalistas na capital etíope, que há 6.213 infecções em 49 países, e que já morreram 221 pessoas, enquanto 469 recuperaram-se da doença.

O director do África CDC indicou que quase metade dos países está já a reportar casos de transmissão local da doença, e, para reduzir a propagação da pandemia, voltou a defender a importância de levar a sério as medidas de higiene, distanciamento social, quarentena ou recolher obrigatório.

Argélia, Burkina Faso, Camarões, Costa do Marfim, República Democrática do Congo, Egipto, Gana, Maurícias, Marrocos, Senegal, África do Sul e Tunísia têm já centenas de casos.

Por sua vez, São Tomé e Príncipe continua a ser o único país africano de língua portuguesa sem qualquer caso da doença, enquanto Moçambique registou 10, Guiné-Bissau nove, Angola oito e Cabo Verde seis.

A nível mundial, até hoje, foram registados 996 mil infectados e 48.320 mortos, de acordo com a base de dados da Universidade John´s Hopkins, escreveu o VOA.

7