3
1

Crédito líquido a clientes diminuiu 10% em 2019

O total de crédito líquido a clientes registou, no ano passado, uma diminuição acentuada, na ordem dos 10%, comparativamente a 2018, indica o mais recente relatório Banca em Análise da Deloitte.

1
2
Fotografia
:
DR

Lançado esta quinta-feira, 23, em formato webinar, o estudo destaca que, considerando os bancos analisados, o total de crédito líquido ascendeu a 2.648 mil milhões de kwanzas, o que corresponde a uma redução de 10% face ao ano de 2018, com o BIC, o BAI, o ATLANTICO, o BFA e o Banco SOL a liderarem na concessão de crédito.

No que se refere ao rácio de crédito vencido, e de acordo com as demonstrações financeiras analisadas, registou-se um aumento para os 38,2%, em 2019, sendo que em 2018 este rácio foi de aproximadamente 33,1%.

“Importa salientar que este rácio é muito impactado pelo BPC e caso este banco não fosse considerado observar-se-ia um rácio de crédito vencido de 17,4% e de 14,6% em 2018 e 2019, respectivamente”, observam os analistas da consultora.

Segundo a 14ª edição do Banca em Análise da Deloitte, em 2019 o valor total dos depósitos de clientes no sector bancário foi de 9.796 mil milhões de kwanzas, o que representa um crescimento de 25% face a 2018. O BAI continua a ser o banco com maior volume de depósitos captados, seguido pelo BFA, BPC, ATLANTICO e BIC.

Activos crescem 11%

Enquanto isso, indica ainda o estudo, o valor total dos activos das instituições financeiras incluídas na 14ª edição do Banca em Análise ascendeu a 14.102 mil milhões de kwanzas, em 2019, o que corresponde a um crescimento de 11% face a 2018. Já o total do resultado líquido do sector bancário nacional registou, em 2019, um decréscimo de 76% em relação ao ano anterior, passando para os 78.439 milhões de kwanzas.

Na posição relativa entre os cinco maiores bancos a operar em Angola, o BAI lidera desde o ano passado, com um activo total de 2.641 mil milhões de kwanzas, seguido pelo BFA, BPC, BIC e ATLANTICO. Os cinco maiores bancos representaram cerca de 72,4% do total do activo do sector bancário e o seu activo registou um aumento de cerca de 23% face ao ano anterior.

“O ano de 2019 foi marcado por três eventos muito relevantes para o sector bancário: a realização do exercício de Avaliação da Qualidade dos Activos (AQA); a implementação do Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) no sistema financeiro e a liberalização do mercado cambial”, salienta José Barata, Presidente da Deloitte Angola.

José Barata acrescenta ainda que “os principais indicadores do sector bancário apresentaram tendências distintas em 2019. Por um lado, registou-se um aumento global do total dos activos e dos capitais próprios dos bancos e, por outro, houve uma diminuição do crédito líquido concedido a clientes, do produto bancário e dos resultados líquidos dos bancos em relação a 2018”, rematou.  

7
Assine a Revista Digital - Economia & MercadoAssine a Revista Digital - Economia & Mercado