3
1

Desenvolvimento a duas velocidades

Com um vasto potencial económico, a Huíla caminha a duas velocidades. Enquanto a cidade do Lubango regista obras de requalificação, os municípios do interior continuam a enfrentar velhos problemas.

1
2
José Zangui
Fotografia
:
Carlos Aguiar
José Zangui

A província da Huíla regista avanços na construção de infra-estruturas sociais, como escolas e postos de saúde, e na requalificação da cidade do Lubango. Porém, nota-se uma contradição com o que se vive no interior, noutros municípios onde se regista uma degradação das condições de vida das populações.

A constatação foi avançada à Economia & Mercado pelo director da ADRA (Acção para o Desenvolvimento Rural e Ambiente), na Huíla e Cunene, Simione Chiculo. No que diz respeito à situação económica, as “Terras do Cristo Rei” enfrentam os problemas derivados do contexto nacional e global, marcado pela pandemia da Covid-19, que está a causar o encerramento de empresas e o aumento do desemprego.

A província tem, entretanto, um grande potencial agropecuário, por estar localizada numa zona com clima favorável a esta actividade. Dados do Instituto dos Serviços de Veterinária da Huíla, fornecidos pela ADRA à E&M, apontam que a província conta com um efectivo pecuário de 1.243.073 bovinos, 1.127.100 caprinos, 261.700 ovinos, 316.100 suínos, 472.800 aves, 2.132 equinos e 2.441 asinos. Entretanto, a Huíla enfrenta uma série de problemas no que diz respeito à saúde dos ani-mais, sendo que as campanhas de vacinação não abrangem todas as espécies pecuárias.

Nos últimos anos, segundo a ADRA, na província tem-se dado maior atenção aos bovinos, vacinando-os contra a peripneumonia contagiosa bovina PPCB, Dermatite Nodular Bovina, Carbúnculos Hemático e Sintomático. As campanhas de vacinação, ainda de acordo com Simione Chiculo, têm sido irregulares, sobretudo na estação seca, fase em que o gado não está em boas condições físicas e as pastagens escasseiam, facto que leva os produtores a absterem-se de vacinar os animais e a deixá-lo sà mercê das principais doenças de incidência local. Entretanto, a fonte referiu que a vacinação só tem efeitos desejados quando a cobertura é superior a 80%.

Fora a pecuária, a agricultura também vai dando os seus passos. A campanha agrícola 2020/2021, lançada há dias, indica haver confiança de que se vão atingir melhores níveis de produção para que as famílias possam tornar-se auto-sustentáveis. A posição foi manifestada pelo governador provincial da Huíla, Luís Nunes, por ocasião do 45º aniversário da Independência Nacional. O governante falou do apoio ao sector agrícola, através do fornecimento de vários inputs e equipamentos, tendo acrescentado que o caminho do desenvolvimento que se pretende impõe uma maior actuação do sector agrícola.

Leia o artigo completo na edição de Dezembro da Economia & Mercado ou assine em https://appeconomiaemercado.com/office/cliente/angola/login.php

Development at two speeds

With vast economic potential, Huíla walks at two speeds. On the one hand, infrastructure in the city of Lubango is being repaired, while on the other, municipalities in the interior of the province continue to face old problems such as drought and hunger.

Huíla is making progress in the construction of social infrastructures such as schools, health posts and requalification of the city of Lubango. However, this contradicts with what is happening in municipalities in the interior of the province, where the living conditions of the populations are degrading.

This finding was forwarded to Economia & Mercado (E&M) by the director of ADRA (Action for Rural Development and Environment) in Huíla e Cunene, Simione Chiculo. On the economic front, the “Lands of Christ the King” face the same problems raised by the Covid-19 pandemic both nationally and globally, marked especially by the closure of businesses and increased unemployment. The province has, nevertheless, great agricultural potential, being located in a region with a favorable climate for this activity.

Data from the Huíla Veterinary Services Institute, provided by ADRA to E&M, indicate that the province has a cattle count of 1,243,073 bovines, 1,127,100 goats, 261,700 sheep, 316,100 pigs, 472,800 birds, 2,132 horses and 2,441 donkeys.

However, Huila faces a number of animal health problems and vaccination campaigns do not cover all livestock species.

According to ADRA, in recent years more attention has been paid to bovine cattle, which is vaccinated against contagious pleuropneumonia, nodular dermatitis and hematic and symptomatic carbuncles. Simione Chiculo notes that vaccination campaigns have been irregular, especially in the dry season, when cattle are not in good physical shape and pastures are scarce, leading producers to refrain from vaccinating the animals and leave them at the mercy of the main local diseases. He added that vaccination only produces the desired effects when the coverage is over 80%.

Apart from livestock, agriculture is also taking its steps forward. The 2020/2021 agricultural campaign, launched a few days ago, indicates that there is confidence that better production levels will be reached so that families can become self-sustainable. This was affirmed by Huíla provincial governor, Luís Nunes, on the occasion of the 45th anniversary of National Independence. The governor spoke of supporting the agricultural sector through the supply of various inputs and equipment, adding that the path to development requires greater action by the agricultural sector.

Read the full article in the December issueof Economia & Mercado Magazine or subscribe at https://appeconomiaemercado.com/office/cliente/angola/login.php

7
Assine a Revista Digital - Economia & MercadoAssine a Revista Digital - Economia & Mercado