3
1

Empresa Gestora de Terrenos regista mais de mil candidaturas em um dia

A Empresa Gestora de Terrenos Infra-estruturados ( EGTI-EP) registou, esta semana, no segundo dia de venda de lotes para construção de habitações na centralidade do Kilamba, mais de mil candidaturas.

1
2
Redacção_E&M
Fotografia
:
DR
Redacção_E&M

As duas pequenas salas contentorizadas, de acordo com Jornal de Angola, montadas no terreno para proceder ao registo dos interessados, foram cercadas desde as primeiras horas da manhã por centenas de pessoas, antes mesmo de abrirem as portas. Já no período da tarde, por volta das 15 horas, perto da hora do fecho, ainda foi possível contabilizar cerca de 500 pessoas, divididas em três filas, ávidas de serem atendidas.

Entre os interessados, não faltaram os chamados "Chico espertos", que tentavam furar entre a multidão, exercícios frequentemente frustrados pelos agentes da Polícia Nacional destacados no local. 

A chefe do Departamento da Direcção e Marketing da EGTI, Elba George, disse, segundo o Jornal de Angola, depois do anúncio, na segunda-feira, depois da abertura do processo de vendas de terreno, algumas pessoas fizeram inscrições por via online. Para as candidaturas presenciais, cuja primeira fase decorre ao longo do mês de Dezembro, referiu, as inscrições vão das 9 às 16 horas.

O processo, explicou, circunscreve-se, na recolha de dados pessoais do candidato, mediante o preenchimento de uma ficha, contendo, entre outros elementos, número do telemóvel e o endereço de email. 72 horas depois, prosseguiu, o candidato é informado por email sobre a confirmação da inscrição (candidatura).

Elba George lembrou que a empresa reduziu os preços iniciais em cerca de 50%. inicialmente fixados entre 90 a 214 dólares por cada metro quadrado, os valores sofreram uma redução na ordem dos 50%, anunciou, no sábado, o presidente do Conselho de Administração da Empresa Gestora de Terrenos Infra-estruturados (EGTI, E.P.), Pedro Cristóvão.

A medida, que reduziu para 45 dólares os preços dos terrenos anteriormente fixados em 90 dólares e para 107 os orçados em 214, de acordo com o responsável, teve em conta a perda do poder de compra dos cidadãos. “Tendo em conta a actual realidade económica do país, caracterizada pela perda do poder de compra dos cidadãos, os antigos preços sofreram alguma redução na ordem de 50%. Nessa revisão de preços, tivemos o cuidado de ter em conta aquilo que é a capacidade de aquisição”, revelou Pedro Cristóvão.

Em entrevista à Angop, cita o Jornal de Angola, o gestor lembrou que os preços definidos para os terrenos infra-estruturados em 2015, que ainda vigoravam até recentemente, “não se adequam a actual realidade económica do país”, tendo em conta a constante variação da taxa de câmbio e a desvalorização da moeda nacional.

Naquela altura (2015), recordou, os preços foram fixados na ordem dos 90 dólares por cada metro quadrado, na zona adjacente da centralidade do Sequele,e USD 214/metro quadrado no Kilamba.

Com essa redução, prevê-se que os preços dos terrenos infra-estruturados estejam fixados na ordem dos 45 dólares/metro quadrado, no Sequele, e 107 dólares no Kilamba, de acordo com as contas feitas pela Angop. Os novos preços desses terrenos, destinados à construção de residências ao gosto/escolha do cliente, serão conhecidos hoje, em Luanda, durante o acto de lançamento da campanha de vendas dos espaços urbanizados.

Nessa primeira fase, o processo de vendas desses espaços vai começar nos terrenos adjacentes à centralidade do Kilamba, em Luanda, que conta com cerca de cinco mil hectares infra-estruturados. Ao câmbio actual, 45 dólares equivale a 21 mil e 592 kwanzas, enquanto 107 dólares corresponde 54 mil e 701. Isso significa que cada metro quadrado poderá custar cerca de 21 mil e 592 kwanzas no Sequele, e 54 mil e 701 no Kilamba.

7
Assine a Revista Digital - Economia & MercadoAssine a Revista Digital - Economia & Mercado