3
1

Estratégia Nacional de Cibersegurança vai estabelecer acordos de segurança

Redacção_E&M
1
2
Foto:
Isidoro Suka

O Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social elaborou a proposta da estratégia de segurança nacional que será brevemente disponibilizada para a consulta pública.

O Director Nacional das Políticas de Cibersegurança, Hecdiântro Mena, revelou que para o quinquénio 2022/2027 o Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social (MINTTICS), está a trabalhar para a segurança e a institucionalização do Centro de Resposta e Tratamento de Incidentes Informáticos (CERT).

A revelação foi feita, recentemente, no âmbito da segunda edição do Cyber Secur Summit, em Luanda, realizado pela Cyber Secur em parceria com o Portal de TI.

Para esse desafio, acrescentou o responsável, “urge aprovar a estratégia nacional de segurança que visa solucionar a abordagem política do espaço. Esta estratégia terá uma periodicidade de cinco anos e vai identificar e estabelecer acordos de segurança para tornar o nosso espaço mais seguro e brevemente será disponibilizada para a consulta pública para que toda a sociedade civil dê o seu contributo.”

Por sua vez, o Secretário de Estado para as Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Pascoal Fernandes, enquanto fazia o discurso de abertura, informou que os Estados-membros da SADC, incluindo Angola, estão a criar as suas equipas de resposta em incidentes informáticos. “Essa estrutura será também responsável pela criação das capacidades necessárias e pela promoção de uma cultura nacional de cibersegurança e de sensibilização para os riscos e consequências dos ciberataques”, informou o secretário de Estado.

Relembrou, no evento que contou com a presença de várias entidades ligadas à cibersegurança, que a pandemia da Covid-19 chamou atenção do país para a importância da troca de sinergias entre as diversas partes interessadas da sociedade, que garantiu que todos pudéssemos usufruir da conectividade necessária para o teletrabalho, educação, entretenimento e protecção da vida humana.

“Precisamos de replicar essa boa experiência para travar as mentes criminosas que usam o incremento da actividade online em sua vantagem, resultando num aumento das actividades de cibercrime fazendo com que o número potencial de vítimas aumentem. Precisamos de olhar também para os membros mais vulneráveis da sociedade, nomeadamente crianças e idosos. Precisamos protegê-los do ciberespaço”, vincou o Secretário de Estado.

O Cyber Secur Summit foi realizado entre os dias 08 e 09 de Novembro, no Epic Sana, onde temas como os desafios estratégicos da segurança cibernética, as principais vulnerabilidades de segurança em Angola, digitalização do Governo, a importância da protecção de dados e entre outros, foram abordados em diferentes painéis.