3
1

Fórum debate transformação digital na banca e comércio electrónico

A Revista Economia & Mercado realiza nesta quarta-feira, 27 de Novembro, no Hotel Trópico, pelas 8 horas, a 3º edição do Conferência E&M com o tema “A Transformação Digital na Banca e o E-Commerce.

1
2
Redacção_E&M
Fotografia
:
Carlos Aguiar
Redacção_E&M

O Fórum tem como objectivo discutir a necessidade de Angola se preparar a curto e médio prazo para a Banca Digital e o E-Commerce (comércio electrónico), particularmente em matéria de regulamentação e tributação do sector que ainda é insipiente para o mercado angolano, mas que a "breve trecho deverá ter um peso significativo na balança comercial”.

Com a crise económica que assola o país, refere a organização do evento em nota de imprensa, a tendência do consumidor é pesquisar mais antes de fazer as suas compras e a Internet facilita a pesquisa e a comparação de preços antes da decisão final. Com isto, reforça o documento, tem havido mais migração da compra física para compra online.

O evento que já vai na sua 3ª edição consecutiva, foi programado justamente a pensar na necessidade da mudança de comportamento não só dos consumidores como também dos agentes que intervêm em toda cadeia da transformação digital.

A banca angolana, por exemplo, tem lançado novos meios de pagamento electrónico, que têm servido de suporte ao mercado nacional no provimento de soluções tecnológica que permitem “maior mobilidade nos pagamentos” como o E-Kwanza BAI, E-Kwanza, Kwanza-Online, entre outros.

Estes meios, salienta a organização, ajudam a criar mais opções para as transacções monetárias e facilitando o acesso a informações sobre produtos e serviços independente da localização geográfica.

“Países como a China, os Estados Unidos da América, o Brasil e tantos outros caminham a passos largos nesse sentido, por isso é hora de os consumidores e empresários angolanos começarem a adoptar novos hábitos no que se refere às compras online”, lê-se na nota de imprensa.

Neste sentido, entende-se que com a chegada ao mercado de novas formas de pagamento e com o e-commerce a “dominar” o sector nacional, “Angola não pode ficar para trás”.

Ao tornar-se uma prática comum entre nós, o E-Commerce deverá trazer inúmeros benefícios, melhores decisões e possibilitará a introdução de inovações na gestão dos recursos, o que eliminará atrasos e reduzirá os custos operacionais. Entretanto, salienta a nota de imprensa, há um benefício muito mais importante que a maior parte de nós ainda não descortinou, o emprego.

A criação de plataformas para o E-Commerce vai ajudar  a gerar novos postos de trabalho, porque quanto maior for a demanda mais estas empresas terão a necessidade de empregar novos colaboradores. “A adaptação ao comércio electrónico além de ser importante do ponto de vista de globalização, também o é do ponto de vista económico e social para o país”, pode-se ler no documento.

O Fórum “A Transformação Digital na Banca e o E-Commerce contará com a presença de representantes da banca privada, representantes ministeriais, empresários, académicos e jovens empreendedores.

Entre outros especialistas, o fórum contará com apresença do presidente do Conselho Executivo da Empresa Interbancária de Serviços (EMIS), do director do Departamento de Sistemas de Pagamento do Banco Nacional de Angola, Edgar Bruno; do director Geral da ITA, Pinto Leite e da chefe de Divisão do Multicaixa Express (EMIS) Mejidy Silva.

Sobre a revista Economia & Mercado

A Revista E&M, de periodicidade mensal, é uma publicação de referência orientada para a informação económica, empresarial e financeira, mas também para a generalidade dos acontecimentos que mais impactam a economia e a sociedade angolana. Está há 20 anos no mercado das publicações angolanas e acompanha a dinâmica de desenvolvimento e crescimento económico, social e político do país, tendo hoje um papel incontornável na análise da realidade nacional e na informação que, mensalmente, disponibiliza aos seus leitores e ao público em geral, conteúdo de qualidade diferenciada e está entre as mais lidas do seu segmento editorial.

7