3
1

Há cada vez mais jovens desempregados em Angola

Mais de 50% dos jovens estão desempregados revelou, esta semana, em Luanda, a directora adjunta do instituto Nacional de estatística (INE), Ana Paula Machado.

1
2
Redacção
Fotografia
:
Arquivo
Redacção

A informação foi avançada durante a apresentação dos “indicadores sobre emprego e desemprego 2018-2019”, que menciona que 52 em cada 100 jovens angolanos estão desempregados.

O estudo salienta que entre Março de 2018 e Fevereiro de 2019, a população desempregada, com 15 ou mais anos, estava estimada em 3.583.143, sendo 1.557.394 homens e 2.005.749 mulheres.

Os dados surgem no âmbito do Inquérito sobre Despesas e Receitas em Angola (IDREA 2018-2019), realizada em todo território nacional durante em 12 meses de trabalho. De acordo com o estudo, a taxa de desemprego diminui à medida que a idade aumenta, atingindo o valor máximo nos jovens com 15 e 24 anos, com52,4%. Já no grupo ectário de 25 e 34 anos é de cerca de 26,6 pontos percentuais e diminui para 10,3 pontos percentuais entre grupos etários de 25 e 34 anos e35 e 24 anos.

Para a tomada de decisão a taxa de desemprego é, segundo a responsável, o indicador do mercado de trabalho mais amplamente usado como referência para os Programas de Desenvolvimento.

Ana Paula Machado disse que a taxa de desemprego mostra a percentagem de pessoas (força de trabalho) que não têm emprego, mas que estão disponíveis. “Em outras palavras, expressa a capacidade do mercado de trabalho de satisfazer a demanda explícita das pessoas por emprego”, frisou.

A especialista referiu que entre os jovens com 15 e 24 anos, a taxa de desemprego é elevada e atinge níveis mais elevados no grupo etário de 18 e 19 anos, com 60%.

“É neste grupo etário que o jovem atinge a maioridade e inicia e a entrada no mercado formal de trabalho. É neste idade ainda que o jovem termina o ensino médio ou 2º ciclo do ensino e, em alguns casos, tem a necessidade de trabalhar para apoiar a família e ou de suportar o seu ensino superior”, explicou.

De acordo com o estudo, a informalidade no trabalho na juventude é um desafio a ter em atenção nos programas de Desenvolvimento do país, porque a população angolana é maioritariamente jovem e os dados mostram que esse é um dos seguimentos mais afectados.

Segundo a responsável, o facto de 11,9% dos jovens com idades compreendidas entre 15 e 17 ano estarem somente a trabalhar é um factor que deve preocupar. E, por outro lado, que 24,9% dos jovens com 15 e 24 anos não trabalham e nem estudam.

7