3
1

Luanda acolhe amanhã reunião dos Países Africanos Produtores de Petróleo

Redacção_E&M
1
2
Foto:
DR

A criação dos mercados para a comercialização do petróleo bruto e os seus derivados, a construção de infra-estruturas e a execução de projectos transfronteiriços serão também tratados na reunião.

O futuro da indústria petrolífera africana à luz da transição energética e os desafios do sector estão entre os principais assuntos da 43ª reunião da Associação dos Países Africanos Produtores de Petróleo (APPO). O evento que se realiza em Luanda, será ainda marcado com a eleição do país que irá substituir Angola na presidência rotativa da instituição.

A informação consta de uma nota do Ministério dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás (MIREMPET), que dá conta de que o evento irá abordar a execução de projectos transfronteiriços associados à tecnologia.

Estévão Pedro, membro do conselho executivo da APPO, disse esta quinta-feira (03), à Rádio Nacional de Angola, que os participantes vão analisar também questões relativas ao funcionamento da organização, com realce para o futuro da indústria petrolífera africana.

A criação dos mercados para a comercialização do petróleo bruto e os seus derivados, a construção de infra-estruturas e a execução de projectos transfronteiriços serão também tratados na reunião.

O também consultor do ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás referiu ainda que está a ser elaborada uma estratégia de longo prazo, que será uma directiva a apresentar nesta reunião e afirmou que as empresas nacionais terão um papel importante a desempenhar e o conselho de ministros poderá, nessa reunião, orientar.

“Esta estratégia será aprovada, possivelmente, neste encontro e serão chamados os presidentes do conselho de administração para implementarem parte deste instrumento muito importante para a APPO”, rematou.

Além das questões apresentadas, os participantes vão também eleger o país substituto de Angola na presidência de APPO, para o próximo mandato, lê-se na nota do MIREMPET.

Recordar que Angola foi eleita, por unanimidade, a presidir a organização durante o ano de 2022, na 41.ª sessão ministerial, realizada por videoconferência.