3
1

Nova startup facilita compra de ingressos via pagamento digital

Redacção_E&M
1
2
Foto:
Isidoro Suka

A Check-In.ao traz uma plataforma integrada por um meio de pagamento que facilita os processos e evita a fraude, a informação exclusiva foi avançada à E&M pelo seu CEO, Mário Rafael.

Check-In.ao é a nova plataforma que visa ajudar os promotores de eventos a gerir as suas actividades, desde o início em que se disponibiliza os ingressos, digitais ou físicos, para a compra até ao dia da realização.

Segundo o CEO da startup, Mário Rafael, em declarações exclusivas à E&M, à margem do Cyber Secur Summit, realizado recentemente em Luanda, a plataforma  conta com um back-office, onde as empresas criam os seus próprios eventos, disponibilizam os bilhetes com as respectivas quantidades e os preços, e é integrada por meio de um pagamento digital para facilitar os processos e evitar a fraude. “Nós trabalhamos tudo integrado com o Multicaixa Express, uma aplicação da EMIS”, reforçou.

Questionado sobre a fiabilidade da app, meio de pagamento usado actualmente, Mário Rafael disse que é provável que se faça confusão quanto ao uso do aplicativo Multicaixa Express.

“As pessoas se referem ao acto de ir ao multicaixa, fazer transferência bancária que é comprovada por meio da apresentação de um bordereaux. É esse documento que tem sido alvo de falsificação”.

O CEO esclareceu que a Checki-In.ao faz pagamentos instantâneos e a questão da falsificação não se aplica porque o pagamento é imediato, a comunicação entre a EMIS e a plataforma não é feita com recurso a intermediários.

“No momento em que se efectua o pagamento, o dinheiro cai na conta do responsável pelo evento, é um pagamento automático e directo, não há bordereaux”.

Referiu ainda que após o pagamento, é mandada uma notificação para o telemóvel associado à app do cliente para autorizar e processar a operação. No final, recebe-se o ingresso com um código QR, por email, para, no dia e na porta do evento, validar o bilhete por meio do aplicativo Check-In Fast app que também pertence à startup.

A plataforma conta ainda com um back-office que permite ao organizador do evento saber quantos bilhetes vendeu, quanto teve de receitas, que pessoas participaram no evento, quem fez o Check-In e quando chegou.

Entre os exemplos de venda estão os ingressos do evento Cyber Secur Summit, que também foram comercializados na plataforma, tanto os digitais como os físicos. Informou ainda que “recentemente, no último evento do Club S, que contou com aproximadamente 2000 pessoas, o nosso sistema geriu aquilo tudo, as mesas, as pessoas com os acessos e não acessos, tudo foi lido e registado. E não temos qualquer tipo de problema”, avançou Mário Rafael, realçando que a plataforma contribui para a criação de empregos indirectos.

O gestor finalizou as suas declarações deixando uma nota aos promotores de eventos. “Não interessa se o evento é grande ou pequeno, se quer controlar, evitar a fraude e ter alguém para o ajudar no que se refere a parte tecnológica e venda de ingressos, podem contar connosco”.