3
1

Oito novas indústrias podem entrar em funcionamento em Agosto

Nos próximos dois meses, Agosto e Setembro, oito novas unidades fabris vão entrar em funcionamento na Zona Económica Especial (ZEE), anunciou, esta semana, o director de Comunicação da ZEE.

1
2
Fotografia
:
DR

Segundo Rui Matata, tratam-se das fábricas Mafcom, Nafta, Tyo Indústria,Damassaya, Yoni Bem, Quinta dos Jugais, Palmentar e da Mayaya-Mafuta, que fazem parte de um grupo de 15 novas unidades industriais, com obras de instalação muito avançadas. 

De acordo com o Jornal de Angola, com a inauguração das oito unidades fabris, a ZEE Luanda-Bengo, que conta com um projecto de mais de 150 fábricas, passa a dispor de perto de 80 estabelecimentos industriais funcionais, prevendo-se um aumento da cifra quando entrarem em operação outras sete infra-estruturas, em meados do próximo ano.

Rui Matata explicou que as referidas indústrias já estariam inauguradas faz tempo, mas o impacto da pandemia da Covid-19 tem estado a criar embaraços na entrada em funcionamento de certas unidades fabris. Mas, assegurou que as obras das últimas fábricas estão em mais de 60% e as máquinas para a sua operacionalização já se encontram no país.

Visando a constatação do grau de execução das obras de instalação das oito fábricas, o presidente do Conselho de Administração, António Henriques da Silva, efectuou, recentemente, uma visita às referidas unidades fabris. 

Na Mafcom, por exemplo, uma produtora de leite empacotado e outros bens alimentares, refere o jornal de periodicidade diária, constatou-se que os trabalhos de instalação estão assegurados para terminar em menos de dois meses, que atrasam a chegada de equipamentos de Portugal, Espanha e Itália.

Já o grupo empresarial Nafta, que ergueu dois pavilhões, em sete meses, numa área de 11 hectares, é uma fábrica de detergentes e de produtos siderúrgicos, que, também, arranca em Setembro.

Investimentos

Segundo o Jornal de Angola, a gestão da Nafta deu garantias à Administração da ZEE de que os investimentos, na sua primeira fase, de 14 milhões de dólares para a fábrica de detergentes, e de 17,5 milhões de dólares para a unidade siderúrgica, vão ajudar a proporcionar 150 postos de trabalho directos. 

Assim sendo, a previsão é que se faça uma injecção mais 21 milhões de dólares, na segunda fase dos dois projectos, que emprega actualmente 53 trabalhadores. A Nafta vai produzir, anualmente, 20 mil toneladas de detergentes.

A TyoIndústria é outra empresa visitada pelos membros do Conselho de Administração da ZEE, onde já se deu início à produção de cosméticos, com destaque para o sabão “Mamã Zungueira” e do sabonete “Diana”, marcas que já detém o selo “Feito em Angola”. Esta unidade fabril tem as obras de instalação em cerca de 95% da sua conclusão e emprega 30 trabalhadores nacionais, numa primeira fase.

7
Assine a Revista Digital - Economia & MercadoAssine a Revista Digital - Economia & Mercado