3
1

PAC. Bancos financiam sete projectos

Sete projectos avaliados em 8.412 milhões de kwanzas foram aprovados, no âmbito do PRODESI, pelos bancos subscritores do Programa de Apoio ao Crédito (PAC), informou, recentemente, o Jornal de Angola.

1
2
Redacção_E&M
Fotografia
:
DR
Redacção_E&M

A informação foi avançada, em Luanda, durante uma reunião entre organismos institucionais e bancos envolvidos no programa, consultores e o Grupo Técnico Empresarial (GTE).

De acordo com o Jornal de Angola, os projectos aprovados representam uma porção dos 64 pedidos de financiamento submetidos, totalizando 17.581 milhões de kwanzas, enquadrados no Programa de Apoio às Exportações e Substituição das Importações (PRODESI).

Os números, obtidos pelo Jornal de Angola através de documentos do Ministério da Economia e Planeamento, indicam que o Standard Bank Angola (SBA) recebeu 17 pedidos de financiamento, BIC 15, Atlântico 13, BAI 12, BCI quatro e o BNI duas solicitações de financiamento.

As solicitações enviadas ao BIC, por exemplo, perfazem os maiores volumes, cifrando-se em 32.847 milhões de kwanzas, situando-se em 32.188 milhões no SBA, 20.228 milhões no BAI, 29.312 milhões no BNI, 17.483 no Atlântico, 1.172 milhões no BCI e 1.527 no BCH.

Neste sentido, o BIC aprovou três projectos avaliados em 7.329 milhões de kwanzas e o BCI quatro projectos cifrados em 1.172 milhões, em que cinco são referentes a empreendimentos do sector da agricultura e dois ao da indústria.

Dois dos sete projectos estão localizados em Luanda e igual número no Cuanza-Sul, enquanto que a Huíla, Malanje e Uíge figuram nesses financiamentos com um projecto cada.

Ainda segundo o Jornal de Angola, os participantes decidiram que, até ao final de Dezembro, o Ministério da Economia e Planeamento, INAPEM e as áreas comerciais dos bancos subscritores ao PAC devem realizar visitas às empresas nas 18 províncias, promovendo a apresentação de projectos aos bancos.

A reunião em que esses dados foram analisados contou com representantes do Ministério da Economia e Planeamento, Instituto Nacional de Apoio às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM), Fundo de Garantia de Crédito (FGC), Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), as Empresas de Consultoria FazGest, Agropromotora e Uranus, quatro bancos comerciais subscritores do PAC (BAI, BFA, BMA e BCH) e o GTE.

O PAC conta com a adesão de oito bancos em financiamentos previstos de 141 mil milhões de kwanzas, este primeiro ano, a empresas que decidam dedicar-se à produção de 54 bens com potencial de gerar uma oferta que leve à redução das importações.

O BDA e o FGC dão prioridade aos operadores económicos que já produzam alguns dos 54 produtos e que pretendam expandir a actividade, enquanto a inclusão das de consultoria visa absorver contribuições especializadas para a elaboração dos projectos, o que acontece pela primeira vez desde que há iniciativas institucionais de financiamento.

7