1

Seminário aborda exploração de inertes

A província do Cuanza Norte registou, durante o 1º semestre deste ano (2018), um volme de exploração de inertes estimado em cerca de 78.499 metros cúbico.

1
2
Cláudio Gomes
Fotografia
:
DR
Cláudio Gomes

Como o resultado desta actividade, cerca de 37.735 cúbico de inertes foram comercializados e 40.764 permaneceu em stock informou, esta semana, em Ndalatando,  o director do Gabinete Provincial do Comércio, Indústria e Recursos Minerais citado pelo Jornal de Angola.

Velinho de Barros avançou tais informações durante o "Seminário MetodológicoRegional para o Subsector dos Recursos Minerais e de Comercialização deDerivados do Petróleo" que teve lugar naquela circunscrição do norte de Angola.

O dirigente disse que 12 empresas operam na indústria mineira da província, em igual número de minas - três abandonadas -,provendo 194 postos de trabalho. A província detém reservas de outros minérios, com destaque para o granito, mármore, manganês, argila, diamantes e ferro.

Neste sentido, as minas inoperantes de ferro e mármoreestão a ser reactivadas, conforme anunciou o director que, na ocasião,encorajou os operadores a investirem neste sector.

Por outro lado, o inspector-geral do Ministério dosRecursos Minerais e Petróleos, Jacinto Cortez, chamou atenção sobre os erros,irregularidades e insuficiências registadas no exercício da actividade mineira em todo o território nacional, tendo alertado os organismos institucionais a “evitar que transbordem para a esfera da ilicitude”.

Participaram no seminário representantes dos gabinetes do Comércio, Indústria e Recursos Minerais das províncias doCuanza-Norte, Uíge, Zaire e Malanje, técnicos das direcções nacionais doMinistério dos Recursos Minerais e Petróleos e representantes dos Governos locais,  para além de representantes das empresas públicas Endiama e Ferrangol.

7