3
1

Taxa de juro BNA pode manter-se inalterada devido à depreciação do Kwanza

Mariano Quissola
1
2
Foto:
DR

Depreciação do Kwanza em 15% e a queda da inflação de 18,16%, em Setembro, para 16,68 em Novembro, são dois pontos fracturantes da reunião do CPM.

A depreciação do Kwanza, em 15% este mês, é o principal desafio das decisões do Comité de Política Monetária (CPM) do BNA, reunido esta sexta-feira, na província do Uíge.

A redução da Taxa Básica de Juro de 20% para 19,5% foi o ponto alto das decisões da última reunião do CPM, realizada a 26 de Setembro, tendo sido a apreciação do Kwanza o principal fundamento para o efeito.

O comunicado publicado na altura referia que “a consistência do abrandamento da evolução de preços na economia nacional, particularmente desde o início do ano em curso, como resultado do contínuo e rigoroso controlo da liquidez, da apreciação do Kwanza em relação às principais moedas utilizadas nas transacções com o exterior”, constituíram as condições para a redução da taxa de juro directora.

No período compreendido entre  10 de Agosto a 10 de Novembro, o câmbio registou uma evolução de 429,576 Kz/USD para 493,753, representando uma depreciação da moeda nacional de 15%.

Dados do último IPCN indicam que a variação mensal dos preços foi impulsionada, principalmente, pelo aumento dos preços da Classe de Saúde (1,74%), seguido pela Classe de Vestuário de Calçados (1,72%), Classe de Bens e Serviços Diversos (1,26%) e da Classe de Bebidas Alcoólicas e Tabaco (1,09%)

De acordo com o comunicado da última reunião do CPM, as decisões tomadas levaram em consideração o contexto externo e os riscos inerentes, dada a exposição da economia angolana ao sector petrolífero e ao peso dos bens alimentares importados no cabaz de oferta ao mercado interno.