3
1

Transformação digital vista à lupa na conferência da E&M

A Revista Economia e Mercado (E&M) organizou recentemente, em Maputo, em parceria com a Deloite Moçambique a conferência sobre a transformação digital e inovação no sector financeiro.

1
2
Redacção
Fotografia
:
DR
Redacção

Ao intervir na abertura do evento, o director da E&M, Iacumba Aiuba, explicou que a as plataformas de transacções electrónicas tornaram os serviços financeiros mais inclusivo. E nesse contexto, “a transformação digital é uma solução viável para alavancar a economia de países em vias de desenvolvimento, como Moçambique”.

No encontro, entre outros temas, foram debatidos a questão da dinâmica da bancarização no país à luz da evolução dos meios de pagamento, perspectivas actuais e futuras ligadas ao Cyber Risk e ao branqueamento de capitais.

Já Rogério Lam, director-central das direcções de Marketing e da direcção de Canais Electrónicos do Banco Comercial de Investimentos (BCI), considerou que devido a colaboração dos participantes e das apresentações que foram feitas por cada membro do painel, deu perceber que o objectivo da conferência foi bem recebido.

Entretanto, Lam considera que além dos desafios de regulação, a adopção dos serviços financeiros debate-se com os desafios de infra-estrutura básica.

“Muito do que foi conseguido até hoje em termos de crescimento nas zonas rurais, urbanas e peri-urbanas, foi graças às infra-estruturas dos operadores de telefonia móvel, que por sua vez enfrentam o problema da falta de estradas e energia para fornecerem os seus serviços”, anuiu Rogério Lam.

No entanto, com o surgimento de novas tecnologias, o sector bancário tem desenvolvido uma série de soluções que visam melhorar e amparar os seus clientes, trabalhando directamente com suas preferências. Isso quer dizer que uma nova tendência está se formando comum sistema financeiro que se adapta aquilo que o cliente espera, visando manter sua conta e não o perder para outras instituições.

Actualmente, as instituições financeiras não apenas lideram muitos aspectos de inovação, como buscam ser referência sempre quando falamos em transformação digital e novas tecnologias. Diga-se que, essa atitude é fruto do aumento da concorrência trazida pelo surgimento das Fintechs e globalização de serviços.

Esta é a segunda conferência aser organizada pela E&M, visto que a primeira aconteceu em Maio do corrente ano, e tinha como tema: “Responsabilidade Social e Corporativa em Moçambique”.

O evento juntou os principais intervenientes do sector financeiro para contextualizar o estágio actual da transformação digital, oportunidades e os desafios bem como a inovação no sector.

A revista E&M pertence ao grupo Executive, uma empresa privada na área de comunicação e imagem que faz parte de um network internacional, presente também em Angola há mais de 25 anos e em Moçambique há cinco anos. 

7