3
1

Um ano novo

O último e primeiro “Remate” do ano. Como é ténue o espaço entre anos. Tão ténue como o tempo que medeia entre a esperança e o desespero. 2018 foi um ano que marcou a todos por imensos acontecimentos.

1
2
Fotografia
:
Carlos Aguiar

Não vimos os salários crescer. Em alguns casos, nada poucos, em muitas casas os salários foram parcos e espaçados. Não percebemos qualquer melhoria nos serviços de saúde. O mesmo podemos dizer relativamente à educação, onde os níveis de má formação são desesperantes. Tirando o sector da energia onde, a olhos vistos, sentimos claras melhorias, em quase todos os outros conhecemos muito poucos ou quase nenhuns progressos.

Mas percebemos intenções de reverter esta situação. Vimos esforços, ao alterar-se a legislação que permite a criação de um melhor ambiente de negócios, mais transparente, aberto.

Foram revistas a lei do investimento estrangeiro, a lei da concorrência, a lei sobre a comercialização de diamantes e houve alterações profundas no sector petrolífero; descobriu-se uma nova postura da Procuradoria-Geral da República relativamente aos casos de peculato e crime económico que envolvem pessoas até há pouco tempo intocáveis.

Leia mais na edição de Janeiro de 2019

Economia & Mercado – Quem lê, sabe mais!

7