3
1

UNITA terá terceiro presidente da sua história

A UNITA está a realizar o seu XIII congresso ordinário hoje, quarta-feira, 13, em Viana, com a plena certeza de que Isaías Samakuva, actual presidente do partido, deixa a liderança 16 anos depois.

1
2
Redacção_E&M
Fotografia
:
DR
Redacção_E&M

Para a sucessão do actual líder da segunda maior força política do país e também a maior da oposição, concorrem cinco candidatos cujo os nomes são bem conhecidos na praça política angolana como Raúl Danda, Alcides Sakala, Kamalata Numa, José Pedro Katchiungo e a Adalberto da Costa Fernandes, que estarão sujeitos a vontade dos mil 150 delegados credenciados.

Raúl Danda, por exemplo, que notabilizou como jornalista de 1985 a 2006, primeiro na Rádio Vorgan (voz da Resistência do Galo Negro) e depois na Rádio Nacional de Angola, é um dos candidatos à liderança.

Actualmente o político é o vice-presidente da UNITA, e defende a introdução de reformas na UNITA, tendo em conta a necessidade de melhor preparar o partido para a tomada e exercício do poder político no país.

Entre as principais reformas que sugere, defende a intenção de reduzir a composição do comité permanente, actualmente com 51 membros, de modo a torná-lo "num verdadeiro núcleo duro” do partido, onde são tomadas decisões acertadas inerentes às questões mais estratégicas da UNITA e do país.

O responsável político admite que tal medida pode suscitar um certo mal-estar internamente, mas necessária porque o actual comité permanente não tem se revelado mais eficaz na sua acção de estudar estratégias e apontar linhas de actuação, por ser numeroso na sua composição.

Por sua vez, José Pedro Katchiungo promete ser um líder corajoso, inovador e enérgico, caso seja eleito presidente. Um líder que saiba ouvir os outros, que garanta a autoridade dopartido, tenha coragem de discordar, bem como persuadir e fazer vincar a opinião da maioria.

Afirma-se como seguidor da vontade do presidente cessante, Isaías Samakuva, pugnando pela honestidade, lealdade e patriotismo que acima de tudo ama Angola.

No seu manifesto, o vice-presidente da bancada parlamentar da UNITA reafirma a vocação de exercer o poder político através do fortalecimento da cidadania, com vista a efectivar a verdadeira mudança.

Já Adalberto da Costa Júnior, presidente da bancada parlamentar, garante que, com a sua eleição, o partido deverá mostrar pelos quatro cantos de Angola que a UNITA tem projectos para orientar e governar o país.

Afirma que o seu propósito como candidato à presidência da UNITA, de acordo com a ANGOP, é elevar o partido à alternância do poder político que se vive no país, em 2022 aquando da realização das eleições gerais.

Ainda nos sentido da vontade de liderar a UNITA, Alcides Sakala Simões, ex-guerrilheiro, porta-voz do partido e deputado à Assembleia Nacional, é de opinião que a sua candidatura representa o ressurgimento da esperança e do direito à cidadania, o aprofundamento da democracia e a defesa dos princípios de Muangai de 1961.

Sakala destaca no seu discurso de campanha, a necessidade daquela força política assumir uma postura e responsabilidade moral, tornando-se num partido político dinâmico e congregador.

Outro candidato, Abílio Camalata Numa, mestre em Direcção Estratégica e Gestão de Inovação, promete modernizar a UNITA, transformando a organização num partido pan-africano, com projectos de formação de quadros.

As  suas intenções são essencialmente as de elevar o grau de organização partidária e de maturidade política da UNITA, para que esteja à altura dos desafios políticos do país.

Salienta que, caso seja eleito, vai usar a sua experiência para ajudar o partido a desenvolver uma política que contribua para a consolidação da democracia, bem como a preservação e manutenção da paz e estabilidade nacional, para além de implementar o Projecto do Muangai

A campanha eleitoral foi intensa, tendo os candidatos percorrido diversas províncias do país para darem a conhecer as suas ideias e projectos, com o intuito de influenciar os 1.150 delegados ao conclave.

O sorteio da posição no Boletim de voto determinou Estêvão José Pedro Katchiungo para a primeira posição, Raúl Danda na segunda, Adalberto Costa Júnior na terceira, Abílio José Augusto Kamalata Numa na quarta e Alcides Sakala Simões na quinta posição.

7