3
1

Volume de negócio da Sonangol aumenta mais de 40% em 2021

O volume de negócios consolidado da petrolífera angolana foi de 5 581 555 milhões, o equivalente a cerca de 8,9 mil milhões dólares, representando um aumento de 46% em relação ao exercício anterior.

1
2
Fotografia
:
DR

Em nota recepcionada esta semana, a petrolífera informou que o resultado representa “a melhor performance do Grupo Sonangol desde 2014, altura em que desempenhava a função de Concessionária Nacional”.

“O volume de negócios consolidado foi de 5 581 555 milhões kwanzas, equivalentes a cerca de 8,9 mil milhões dólares, representando um aumento de 46% em relação ao exercício anterior”, lê-se no documento em posse da Economia & Mercado.

O resultado líquido consolidado, por sua vez, ascendeu aos 1 336 745 milhões de kwanzas, equivalentes a cerca de 2,1 mil milhões dólares, um crescimento de 152% face ao ano de 2020.

A nota realça, igualmente, que o EBITDA consolidado foi de 2 150 409 milhões kwanzas, correspondente a 3,4 mil milhões dólares, representando um aumento de 70% face ao período homólogo.

De acordo com a nota, a petrolífera encerrou o ano 2021 com um “resultado económico e financeiro substancialmente robusto” influenciado pelo preço médio do petróleo bruto no mercado internacional que levou as ramas produzidas pela Sonangol a serem comercializadas a 71 dólares, por barril de petróleo bruto, comparado aos 41 dólares registados em 2020.

Igualmente, informa, o resultado foi influenciado pelo um “excelente desempenho operacional”, bem como do contributo das “condições macroeconómicas favoráveis e da consequência de acções e medidas tomadas ao longo do ano”, com destaque para as medidas de “consolidação do modelo operacional focado na cadeia nuclear, o rigor financeiro e o processo de redução e racionalização de custos iniciado em exercícios anteriores”.

A nota informa também que o seu Relatório e Contas, referente ao exercício económico de 2021, está disponível para consulta através dos seus canais oficiais na Internet.

Estabelecida em Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola, U.E.E através do Decreto-lei Nº 52/76, a petrolífera angolana é gerida como sendo uma empresa estatal vocacionada para gerir a exploração dos recursos de hidrocabonetos em Angola.

7