1

Apenas uma empresa angolana “aposta”
 na integração económica

A consultora empresarial Boston Consulting Group refere que apenas 75 empresas africanas estão a vencer barreiras geográficas, geopolíticas, de mobilidade e de infra-estruturas de longa data.

1
2
Pedro Fernandes
Fotografia
:
Carlos Aguiar
Pedro Fernandes

Um conjunto de 75 empresas sediadas em África, do qual apenas uma é angolana(Refriango), e um igual número de multinacionais que estabeleceram registos impressionantes no continente, estão a contribuir para uma maior integração empresarial, económica e social do mercado africano, conforme revela o relatório mais recente da Boston Consulting Group (BCG), intitulado“Pioneirismo Africano: Empresas Abrem Caminho pelo Continente”.

Para serem consideradas empresas que apostam na integração, o estudo refere que as instituições de negócios realizam oito tarefas essenciais para o seu sucesso:expansão activa em vários países africanos; atracção de investimentos significativos; realização de fusões e aquisições para acelerar a expansão; construção de fortes marcas africanas; inovação local para se adaptarem ao consumidor africano;investimento em talentos locais; construção de ecossistemas locais; e conectarÁfrica facilitando o movimento de pessoas, bens, dados e informações.

Segundo a BCG, a empresa angolana Refriango consta neste relatório e foi considerada umas das 150 empresas pioneiras em África, imprimindo a sua pegada no país com investimentos na criação de estruturas de raiz, na construção de marcas fortes,com um investimento em talentos locais e no desenvolvimento de competências e habilidades dos seus colaboradores.

“Estas empresas constroem verdadeiros ecossistemas locais o que permite à organização, aos colaboradores, aos parceiros e aos clientes, uma verdadeira integração e conexão com África, facilitando o movimento de pessoas, bens,dados e informações”, reforçou Alexandre Manuel Carvalho de Brito, responsável pelo escritório da consultora BCG em Luanda.

ABCG é uma empresa global de consultoria em gestão e é o principal consultor rmundial em estratégia de negócios, que cria parcerias com clientes dos sectores privado, público e sem fins lucrativos, em todas as regiões, para identificaras suas oportunidades de maior valor, abordando os seus desafios mais crítico se transformando os seus empreendimentos. Neste seu estudo, identificou estas150 empresas que estão a abrir caminho para uma África mais integrada e dividiu-as por 75 empresas sediadas em África e por um igual número de multinacionais que estabeleceram registos impressionantes no continente e que estão a contribuir para uma maior integração.

O estudo esclarece que estas empresas vêm de 18 Estados do continente, estando 32delas sediadas na África do Sul e 10 em Marrocos; Quénia e Nigéria abrigam seis; quatro estão no Egipto; duas na Costa do Marfim, duas nas Maurícias, duas na Tanzânia e duas na Tunísia.

Leia mais na edição de Setembro de2018.

Economia & Mercado - Quem lê, sabe mais!

7