3
1

Comercialização de lubrificantes cai cerca 11% no IV trimestre de 2022

Cláudio Gomes
3/2/2023
1
2
Foto:
DR

O país registou um volume de cerca 8.199 TM de lubrificantes comercializados no mercado nacional, representando um decréscimo de cerca de 11% em relação ao III trimestre do ano em referência.

Os dados constam de do balanço consolidado das actividades realizadas pelas empresas que operam no sector dos derivados do petróleo, divulgado esta semana, em Luanda, pelo Instituto Regulador dos Derivados do Petróleo (IRDP).

O documento da IRDP dá conta que do volume total comercializado, apenas 1.491 toneladas métricas (TM) foram de produção nacional, correspondentes a 18%, sendo que os restantes 6.708 TM, provenientes de importação, correspondentes a 82%.

Segundo o documento a que a Economia & Mercado teve acesso, a Unidade de Negócio de Distribuição e Comercialização da Sonangol (UNDC) liderou o mercado de lubrificantes com vendas na ordem dos 18,19% do total, seguida pela Chinangol (7,48%), Pumangol (7,46%), Jambo (6,41%) e a Cosal (5,27%) de quota, fechando o top 5 do referido mercado.

O volume de vendas globais nos segmentos de negócio de retalho, consumo industrial e bunkering - abastecimento a navegação marítima e aérea - foi de aproximadamente 1 185 590 TM, registando um acréscimo de cerca de 3% em relação ao trimestre anterior.

O IRDP desempenha funções de regulação, controlo e fiscalização de todas as actividades relacionadas com o sector dos derivados do petróleo, desenvolvidas no território nacional.

Consta da sua missão, regular o sector dos derivados do petróleo visando a melhoria do acesso aos produtos petrolíferos, por parte da população, a preços justos, e observando os padrões de qualidade dos produtos e serviços, sem prejudicar a sustentabilidade económica das empresas do sector.