1

DGM participa num concurso internacional no Togo

Em cumprimento da sua estratégia de internacionalização da marca, o grupo angolano DGM se qualificou, através da sua empresa DGM Sistemas, para a fase final de um concurso internacional no Togo.

1
2
Cláudio Gomes
Fotografia
:
DR
Cláudio Gomes

Segundo uma nota de imprensa publicada, estas semana, em Luanda, o objectivo da empresa angolana no concurso é “alargar a presença nos países africano”.

“A participação neste concurso está em linha com o plano estratégico de gestão do Grupo DGM para o triénio 2018/2020, que prevê o alargamento das operações do grupo nas áreas de Identificação Civil, SegurançaSocial e de Saúde”, disse o sócio do Grupo DGM.

Mauro Franco disse que o plano de expansão da sua empresa abrange os países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), bem como os países da África Francófona nomeadamente o Benim, Burkina Faso,Costa do Marfim, Guiné Conacri, Mali, Níger, Senegal e Togo.

Deste modo, a DGM Sistemas concorre na final com a UNISYS, a MTDHOUSE e mais seis empresas após ter passado, com sucesso, a fase de pré-qualificação que contou com a participação de 25 empresas.

Continuando, o gestor daquele Grupo Empresarial angolano, disse que a estratégia de expansão é resultado de “um histórico de excelência a nível de projectos desenvolvidos nos últimos anos em Angola”.

Pretendemos, prosseguiu Mauro Franco, “levar esta experiência e as mais avançadas tecnologias para ajudar as instituições governamentais a concretizar a sua missão junto das populações”.

Assim sendo, a DGM Sistemas recebeu recentemente distinções internacionais a nível de projectos de Implementação e Gestão daEmissão do Bilhete de Identidade e Registo Criminal em Angola, concretizado entre 2008 e 2017.

Deste modo, o projecto foi premiado pela revista Government Security News (GSN) como “Primeiro Destaque Excecional e Exemplar”na área de Homeland Security em África, tendo sido considerado “um dos melhores case studies na utilização das suas ferramentas pela Microsoft”.

Contudo, o governo togolês pretende implementar, com este concurso, um Sistema de Identificação Nacional Biométrico, que permitirá a criação de uma base de dados da população residente daquele país africano.

Constituído pelas empresas DGM Sistemas, Angola Prev e Advance, o grupo DGM actua há 15 anos na implementação de projectos e programas nas áreas tecnológica, gestão, integração e desenvolvimento de soluções para atendimento para instituições governamentais nas áreas da Identificação Civil(identificação biométrica, emissão de bilhetes de identidade, registos civis e passaportes), Segurança Social  entre outros.

7