3
1

“Fala Comigo”, um projecto de inclusão social

Apoiado pelo BFA Solidário, o projecto é uma iniciativa da Associação de Escuteiros de Angola (AEA) e pretende facilitar a comunicação de pessoas com deficiência auditiva e oral.

1
2
Cláudio Gomes
Cláudio Gomes

O projecto “Fala Comigo”, de massificação da linguagem gestual, faz parte do programa “Sementes que Brilham” que, por sua vez, está inserido no plano de educação da Associação dos Escuteiros de Angola (AEA), afecta à Igreja Católica, e que visa transformar os jovens em verdadeiros agentes da transformação comunitária, a começar pelas suas zonas de residência.

Segundo o secretário nacional para o Crescimento e Sustentabilidade da AEA, José Dala, o objectivo é torná-los capazes de solucionar problemas locais, através de um processo de formação (online e presencial) e de mobilização de voluntários. Acrescentou que os activistas serão preparados para actuar dentro das comunidades, em várias esferas da vida. “Cada um deverádinamizar outras pessoas até se atingir a cultura do uso da linguagem gestual”, disse, acrescentando que os formandos qualificados serão convidados a realizar uma formação presencial em matéria de técnicas de comunicação, liderança e mecanismos de captação de novos membros.

José Dala afirmou ainda que o projecto “Fala Comigo” começou a tornar-se realmente “brilhante” após terem recebido garantias de financiamento através do concurso BFA Solidário, criado em 2019 pelo Banco de Fomento Angola, para apoiar financeiramente a implementação de projectos estratégicos de Organizações Não-Governamentais angolanas. Nesse ano, a AEA beneficiou de 4.500.000 Akz.

O secretário nacional para o Crescimento e Sustentabilidade da AEA disse que a sua instituição pretende massificar a linguagem gestual no país, com o apoio das suas representações provinciais e em mais de 140 municípios.

Leia o artigocompleto na edição de Dezembro da Economia & Mercado ou assine em https://appeconomiaemercado.com/office/cliente/angola/login.php

“Talk to me”, a project for social inclusion

Supported by BFA Solidário, the project is an initiative of the Scout Association of Angola (AEA) and aims to facilitate communication and social inclusion for people with hearing and oral disabilities.

The project “Fala Comigo” (Talk to Me), disseminating sign language, is part of the program “Sementes que Brilham” (Seeds that Shine) vehicled by the Catholic Church’s Scout Association of Angola (AEA) education plan, which works to transform young people into real agents of change in their communities.

According to the AEA national secretary for Growth and Sustainability, José Dala, the goal is to make them capable of solving local problems through a process of training (online and in person) and mobilizing volunteers. He added that the activists will be prepared to act within communities, in various spheres of life. “Each will have to reach others until sign language becomes a part of the culture,” he said, adding that qualified trainees will be invited to face-to-face training in communication techniques, leadership and mechanisms to attract new members.

José Dala also said that the “Talk to Me” project began to become truly “brilliant” after receiving guarantees of funding through the “BFA Solidário” contest, an initiative created in 2019 by Banco de Fomento Angola (BFA) to financially support impact ful projects by Angolan NGOs.

That year, AEA received from 4,5 million kwanzas. The AEA intends to disseminate sign language in the country, with the support of its representations in the provinces, covering over 140 municipalities.

Read the full article in the December issue of Economia & Mercado Magazine or subscribeat https://appeconomiaemercado.com/office/cliente/angola/login.php

7
Assine a Revista Digital - Economia & MercadoAssine a Revista Digital - Economia & Mercado