3
1

Falta de investimento mantém produção de café “adormecida”

O relançamento da produção de café em Angola, que nas décadas de 1960 e 1970 foi a principal commodity de exportação do país, está dependente de um investimento de menos, 27 mil milhões de kwanzas.

1
2
José Zangui
Fotografia
:
Arquivo
José Zangui

Fontes contactadas pela Economia & Mercado concordam que Angola tem condições naturais para o relançamento da produção de café, mas lamentam a ausência de vontade política e a actuação das instituições, a começar pelo orçamento atribuído ao Fundo de Desenvolvimento do Café (FDCA), que precisa de ser revisto, como defendeu a sua Presidente do Conselho de Administração (PCA), Sara Bravo.

Fixado, anualmente, em menos de 300 milhões de kwanzas, no Orçamento Geral do Estado (OGE), este valor não é cabimentado na sua totalidade, tendo em conta o contexto económico que Angola regista. Por as dotações orçamentais serem variáveis e, por vezes, ajustadas em função das disponibilidades do OGE, outras alternativas “fora da caixa” estão a ser estudadas, com o propósito de se apoiar os produtores nacionais, revela Sara Bravo.

Leia mais na edição de Abril de 2019

Economia & Mercado– Quem lê, sabe mais!

7