3
1

Governo cria plano para travar desemprego

De 2014 a 2019, a taxa de desemprego cresceu de 24% para 28,8%, o que corresponde a cerca de três milhões de cidadãos, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

1
2
José Zangui
José Zangui

Os dados do INE confirmam que, estando Angola
 a atravessar, há cinco anos, uma crise económica e estrutural, não tem sido capaz de gerar empregos suficientes para atender à oferta de mão-de-obra activa, maioritariamente jovem. Os números preocupam o Governo.

Segundo o ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS), Jesus Maiato, o desemprego “não vai acabar”, mas os planos que têm sido gizados visam apenas minimizar e cumprir a meta governamental de criar 500 mil empregos até 2022. Por outras palavras, não será o Plano de Acção de Promoção à Empregabilidade (PAPE) – aprovado recentemente pelo Presidente da República, João Lourenço, através do Decreto 113/19, de 16de Abril – que vai acabar com o desemprego.

Entretanto, o PAPE não é o primeiro plano que o Governo cria. Pelo menos dois já fracassaram, nomeadamente o Balcão Único doEmpreendedor (BUE) e o Projovem, que não saiu do papel.

Leia mais na edição de Junho de 2019

Economia & Mercado – Quem lê, sabe mais!

7