3
1

Homens armados atacam Rádio Capital FM em Bissau

Redacção_E&M
1
2
Foto:
DR

Armados e em encapuzados, um grupo de homens ainda não identificados invadiram hoje, segunda-feira, 7, o edifício da Rádio Capital FM na capital da Guiné-Bissau.

Uma semana após a tentativa frustrada de golpe de Estado, os moradores de Bissau testemunharam mais uma cena de pânico provocada por disparos indiscriminados de armas de fogo no interior das instalações da estação radiofónica. "Destruíram a rádio de novo", disse o director da estação, recordando que este é o segundo ataque às instalações daquele meio de comunicação social depois de um outro, em 26 de Julho de 2020, quando foi destruído praticamente todo o material.

Segundo  Lassana Cassamá, a estação foi atacada "por um grupo de homens armados" não identificados, que fizeram disparos de armas de fogo que terão “provocado dois feridos”, sem, no entanto, avançar mais detalhes sobre o ocorrido.

Até altura dos ataques, noticiou a Lusa, o director encontrava-se na capital de Portugal, Lisboa. À agência portuguesa de notícias, o director da Rádio Capital FM disse estar a aguardar por mais informações.

De acordo com a Revista Sábado, foram registados relatos e imagens da destruição da estação de rádio de Bissau.

Polícia minimiza situação

Para o comissário-adjunto da Polícia de Ordem Pública, o ataque à Rádio Capital FM foi um “acto isolado”. "Na verdade, o que aconteceu foi um assalto à Rádio Capital, como todos nós sabemos. Há um grupo de pessoas que foram para a rádio, dispararam alguns tiros e danificaram alguns materiais da rádio e fugiram”, afirmou o coronel Salvador Soares.

“Aconteceu, nós fomos para lá, mas antes da chegada das forças de ordem, já tinham abandonado a rádio”, disse, frisando que as forças de segurança estão no local e que uma equipa da Polícia Judiciária está na rádio a fazer um “levantamento”.

Nas declarações aos jornalistas, o coronel apelou à população para que, se vir alguma situação anormal, comunique imediatamente à polícia para que esta possa atuar, sublinhando que as forças de ordem estão a realizar patrulhamentos de 24 horas na cidade.

Questionado sobre eventual existência de feridos, o coronel afirmou ainda não ter essa informação, mas fontes da direção da Rádio Capital confirmaram à Lusa a existência de cinco feridos.