3
1

Indústria do Petróleo e Gás busca novos caminhos

A Conferência Angola Oil & Gas 2019 junta, desde hoje, terça-feira, 4, cerca de mil delegados oriundos de África, Estados Unidos, Europa e Médio, para discutir a nova estrutura do sector petrólifero.

1
2
Redacção
Fotografia
:
DR
Redacção

O encontro visa, entre outros assuntos, analisar os caminhos para o estabelecimento de uma indústria de petróleo e gás mais competitiva e rentável.

Segundo o Jornal de Angola, o presidente de uma das instituições que organizam a conferência, a Câmara de Energia Africana (CAE), NJ Ayuk, disse que o evento constitui uma oportunidade única de obter conhecimento aprofundado sobre a dinâmica actual do mercado e dos parceiros angolanos com vista a construir projectos de sucesso.

Por outro lado, o presidente da Câmara de Energia Africana (CAE) definiu o encontro como “uma porta para todos os investidores e interessados em investir na indústria de petróleo e gás em Angola e um momento para redefinir estratégias para o sector em África”. 

Para a fonte citado pelo Jornal de Angola, a Associação dos Países Produtores de Petróleo Africano (APPO), que organiza a conferência, desempenha um papel fundamental na construção de uma cooperação energética africana mais forte e crucial para desenvolver o mercado interno de petróleo.

“Existem inúmeras oportunidades que podem ser criadas com um forte diálogo energético africano, tanto a nível governamental e das empresas”, indicou. 

Em relação a dimensão africana da conferência, o investigador do Centro de Estudos e Investigação Científica da Universidade Católica de Angola (UCAN), José de Oliveira, considerou, no entanto, que este tipo de encontro pode ajudar a resolver a problemática da conjuntura menos favorável da indústria em Angola e noutras partes.

NJ Ayuk chegou a declarar, por exemplo, que os países africanos que devem procurar em reuniões como a que tem lugar hoje na capital angolana, alinhar as estratégias para elevar a produção de gás para níveis que ajudem a fornecer electricidade e outros recursos para mais de 1,2mil milhões de habitantes do continente. 

Ainda segundo este especialista, os investidores e empresários africanos devem apostar no gás, que é o futuro das economias produtoras de petróleo.

7