3
1

João Lourenço fala para empresários nacionais

O Presidente da República manifestou, esta semana, em Luanda, o interesse do Estado devolver o papel de actor principal da economia ao empresariado privado como forma de alavancar a economia.

1
2
Redacção
Fotografia
:
DR
Redacção

O Chefe de Estado fez tais declarações enquanto discursava na abertura de um fórum económico com associações empresariais nacionais, tendo lembrado que tinha sido anunciado por si, numa outra ocasião, que o Executivo negociou com o Deutshe Bank (alemão) uma linha de financiamento de mil milhões de dólares destinados à dinamização da actividade económica privada, com destaque para o sector produtivo.

João Lourenço referiu, na ocasião, que o Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) foi também orientado a utilizar os recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento para bonificar as taxas de juro, tendo reconhecido que ainda são muito altas no mercado financeiro.

No que diz respeito ao papel da classe empresarial na economia, o Presidente da República reafirmou o interesse do Estado em devolver o papel de actor principal da economia ao sector empresarial privado. Neste sentido, João Lourenço pediu aos empresários para que aceitem o testemunho, na certeza de que saberão fazê-lo melhor que o Estado na responsabilidade de produzir bens e serviços e na criação de emprego. 

“Se ocuparem convenientemente o espaço que sempre foi vosso e que por razões de conjuntura política ao longo de décadas vos foi usurpado, temos a convicção que vai proliferar pelo país o número de micro, pequenas e médias empresas e, assim, tornar realidade o sonho da diversificação da nossa economia”, assinalou, acrescentando que é necessário “trabalho conjunto para tirar a economia da crise em que ainda se encontra e retomar o crescimento económico em bases mais sustentadas e diversificadas”.

Para o Chefe de Estado, “o papel do Executivo deve ser o de coordenar e regular o desenvolvimento económico do país e que o motor do crescimento económico reside no sector privado, nos empresários, que deverão apostar na inovação.” 

“Estabeleçam parcerias com empresas tecnologicamente mais avançadas, portadoras de ‘know how’ e que facilitem o acesso ao mercado internacional”, disse, deixando claro o reconhecimento do importante papel das empresas na economia e na sociedade.

O desemprego é outro preocupação levantada pelo Presidente da República, que manifestou o aumento dos níveis de desemprego no país, e considerou que tais níveis só podem ser diminuídos com aumento do investimento, o que levará o país a crescer economicamente, criar mais postos de trabalho e proporcionar à juventude melhores rendimentos e bem-estar às suas famílias. “Como consequência do facto do país ter vivido um ambiente de recessão económica nos últimos três anos, os níveis de desemprego em Angola subiram. Trata-se de um problema que nos deve preocupar a todos e que só poderá ser resolvido através do aumento do investimento na economia, sobretudo, do investimento privado”, sublinhou o Presidente da República.

7