3
1

Peritos contabilistas angolanos preocupados com a qualidade de formação de técnicos

Redacção_E&M
7/12/2022
1
2
Foto:
DR

Os novos licenciados chegam ao mercado de trabalho muito mal preparados, observaram os peritos contabilistas de referência do mercado nacional.

A qualificação dos profissionais de contabilidade, a actualização dos conteúdos programáticos, bem como os novos e melhores métodos de ensino, foram debatidas recentemente, em Luanda, no primeiro Fórum de Homenagem aos Profissionais de Referência da Contabilidade e Auditoria em Angola.

Os “Contributos para a História da Contabilidade e Auditoria em Angola e os seus principais desafios” foi o primeiro tema a ser debatido por peritos contabilistas, que participaram no painel temático.

Segundo o perito contabilista, Rui Santos, até 1975 a educação formava trabalhadores, mas actualmente, trabalha-se mais a vocação e não profissionais.

Para o especialista, hoje “a formação do empregado passou a ser uma função do empregador”, porém, admitiu, houve um decréscimo na qualidade de conteúdos programáticos, o que é um dos principais problemas no sistema educacional.

Por sua vez, Fernando Hermes, defende que a nova geração de contabilistas carece de avaliação, para posteriormente resolver o vazio (gap) que existem na sua formação. “Estamos a estudar pouco, o próximo ciclo de licenciado virá debilitado e terá de fazer uma outra licenciatura para melhor qualificação”, referiu.

A referida mesa-redonda contou com a participação dos Peritos Contabilistas Júlio Sampaio, Rui Santos, Fernando Hermes e Fernando Gonçalves.

Foram entregues galardões em homenagens aos profissionais de referência da contabilidade e auditoria como Mário Barber, Júlio Sampaio, Isabel Almeida, Elsa Lopes, Fernando Hermes, Vanda António e outros nomes que contribuíram para a emancipação dos contabilistas em Angola.