3
1

Polícia aplica multas equivalente a quase 15 milhões de kwanzas só na semana passada

Redacção_E&M
24/1/2023
1
2
Foto:
DR

Os serviços de fiscalização da Polícia Nacional aplicaram 3 685 multas em todo o país, o equivalente a 14 908 463 kwanzas. Foram igualmente apreendidas 1 118 cartas de condução.

A informação consta de uma nota publicada ontem, segunda-feira, 23, pelo Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa da Polícia Nacional, relativo a actividade de segurança pública realizado de 12 a 18 do mês e ano em curso, em que foram também apreendidos 203 veículos automóveis, 935 motociclos, 865 verbetes, 1 114 livretes e 1 114 títulos de propriedade.

No domínio dos acidentes de viação, o órgão registou 274 ocorrências, mais três em relação ao período homologo, que resultaram em 55 mortes (mais quatro) e 292 feridos (mais cinco).

O documento em posse da Economia & Mercado dá conta que a província de Luanda, com 48 acidentes, lidera a lista seguida das províncias da Huíla (25), Benguela (22) e Huambo (21).

Na sequência dos sinistros divulgados pela Polícia Nacional, Luanda a que registou maior número de mortes com 20%, tendo como principais causas de acidentes de viação em todo país foram a má travessia de peões (128), excesso de velocidade (56), mudança irregular de direcção (33), mau estado das vias (41), condução sob efeito de álcool (25).

Igualmente, a províncias de Luanda, com 613, liderou as cifras criminais no país, seguida das províncias de Benguela (134), Huíla (89), Cabinda (75) e Bié (75), que resultaram na detenção de 1.110 suspeitos, mais 83 em relação ao período anterior e no esclarecimento de 958 crimes, mais nove.

Das micro operações realizadas pela Polícia Nacional em todo território nacional, foram apreendidas, entros, 13,295 kg de cocaína e 717,146 kg de cannabis (liamba), bem como a recuperação de 14 armas de fogo, 2 viaturas e o desmantelamento de 4 grupos de marginais.

“Foram igualmente detidos 704 presumíveis autores de diversos crimes, dos quais 26 por homicídios, 169 por roubos, 270 por furtos, 205 por ofensas à integridade física graves e simples e 34 por agressões sexuais”, lê-se na nota.

Crianças entre os infractores

No que a protecção das fronteiras terrestres e marítimas diz respeito, registou-se a detenção de 2.264 cidadãos, mais 148, sendo 1.164 da República Democrática do Congo, que se faziam acompanhar por 48 crianças, 27 da República do Congo, 17 da República da Namíbia, dois da República da Zâmbia e um da República do Vietname.

Neste sentido, foram ainda detidos 1.053 cidadãos nacionais, acompanhados por 100 crianças, alegadamente pela prática ilegal de contrabando de combustível, pesca ilegal e contrabando de mercadoria não declarada (fuga ao fisco), tráfico ilícito de migrantes, devastação da flora e por tentativa de saída clandestina (emigração).