3
1

Portos da África do Oeste e Centro preocupados com a redução do comércio marítimo

Redacção_E&M
1
2
Foto:
DR

O objectivo principal é reunir todos os actores-chave do sector portuário, instituições e organizações regionais, internacionais e financeiras especializadas na mitigação das mudanças climáticas.

Os gestores dos portos da África do Oeste e Centro debatem esta sema, em Luanda, o papel dos portos face aos desafios das alterações climáticas no âmbito do 42º Conselho Anual da Associação de Gestão dos Portos da África do Oeste e Centro (AGPAOC).

Numa primeira intervenção, os gestores mostraram-se preocupados com a redução do comércio marítmo causada pela pandemia da Covid-19 e pela guerra na Ucrânia, sublinhando que a procura e a oferta estão desencontradas.

O encontro decorre de 15 a 18 de Novembro, no Centro de Conferências de Belas.

O objectivo principal da Conferência da Mesa Redonda dos Directores Gerais da AGPAOC é reunir todos os actores-chave do sector portuário, instituições e organizações regionais, internacionais e financeiras, bem como especialistas africanos e internacionais e estruturas privadas especializadas na implementação do regime de mitigação das mudanças climáticas.

Na ocasião, o Ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, no seu discurso de abertura, apontou que as infra-estruturas, que incluem as do sector dos transportes, como as portuárias, aeroportuárias, rodoviárias e aéreas, são a base para assegurar a circulação rápida e segura de pessoas e bens, dentro e fora do território nacional.

Para o ministro, devido à importância que essas infra-estruturas assumem na economia no país, o Executivo, nos últimos cincos anos, implementou projectos estruturantes e relevantes, que permitiram a expansão e a modernização do sector, com destaque ao concurso público internacional, para a concessão do Caminho-de-ferro de Benguela, no chamado Corredor do Lobito, cujo processo já está concluído.

"Vamos concluir a construção do terminal Marítimo de Águas Profundas do Caio, em Cabinda, bem como arrancar com o projecto da Zona Franca adjacente. Um projecto que para além de transformar a província num Hub logístico, irá gerar muitos postos de trabalho”, disse, indicando que o Executivo tem, igualmente, o projecto designado por "nova geração”, que é o de Desenvolvimento da Barra do Dande, Zona Franca, cujo plano director está traçado.

Neste encontro, estão agendados debates sobre temas como “envolvimento dos portos da África Ocidental e Central na redução dos efeitos do carbono e das opções para a transição energétic: situação e perspectivas”; “envolvimento de armadores e organizações marítimas na redução da carga de carbono  e nas opções previstas para este fim”, e “ desafios da aceleração da transição energética para a mitigação e orientação das mudanças climáticas sobre sustentabilidade portuária, marítima e logística (propriedades, recursos, estrutura institucional)”.

Serão analisadas, igualmente, as actividades realizadas pela associação durante o período de 2021-2022 e o seu Conselho de Administração, e também aprovar o calendário de 2023, bem como a entrada de novos membros.