3
1

Sonangol ambiciona transformar recursos em bem-estar social

Ladislau Neves Francisco
1
2
Foto:
Carlos Aguiar

Recentemente reconhecida pelo envolvimento no desenvolvimento sócio-ambiental, a Sonangol olha para os recursos renováveis como nova aposta e procura garantir o bem-estar e sustentabilidade.

Depois do memorando de entendimento com a italiana ENI, no início de Outubro de 2021, no domínio do aproveitamento das energias renováveis, que permitirá a Angola dar os primeiros passos na transição para novas fontes de energia mais amigas do ambiente, a Sonangol assinou, mais recentemente, com a Total Eren e a Greentech, um acordo de parceria que visa a finalização do desenvolvimento e implementação do projecto denominado “Quilemba Solar”. Em funcionamento, o “Quilemba Solar” vai permitir poupanças significativas de combustível líquido e aumentará a capacidade de produção de energias limpas no Sul do país.

O primeiro Memorando de Entendimento foi celebrado entre a Eni, a ANPG (Agência Nacional de Petróleo e Gás”) e a Sonangol sobre iniciativas de agro-biocombustíveis em Angola, como parte do esforço de descarbonização, através de uma abordagem de economia circular, avaliando, em particular, o desenvolvimento de cultivos de baixo nível de IUC (mudança indirecta do uso do solo) como a mamona, em terras degradadas, e cobrir culturas em rotação com cereais. Como parte do MdE, as partes irão também avaliar oportunidades de negócio nas áreas de recolha de resíduos, com o objectivo de valorizar a fracção orgânica, e de bio-refinação.

Desenvolvimento e sustentabilidade

A Sonangol leva a cabo uma estratégia que assenta na premissa de desenvolvimento sustentável das comunidades, segundo o engenheiro ambiental Julião Messo, que interveio na Conferência E&M sobre Ambiente e Desenvolvimento. Para a fonte, o compromisso da empresa é alinhar a sua actividade aos 17 Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). De resto, frisou, a sua acção está focada no tripé da sustentabilidade: economia, sociedade e ambiente. “É assim que as diversas unidades da Sonangol têm, todos os anos, actividades ligadas à educação ambiental”, citou, tendo acrescentado que as acções da empresa ocorrem em colaboração com outras entidades vocacionadas na defesa do ambiente. Tal é o caso da parceria com a Associação Otchiva. Com essa entidade, esclareceu Julião Messo, a Sonangol tem apoiado a plantação e preservação das zonas de mangais, com o objectivo de ajudar na redução das emissões, dos gases de efeito estufa ou na captação do dióxido de carbono. Ainda no âmbito dessa parceria,  a empresa tem “dado e continuará a dar suporte às comunidades para garantir que elas sejam os primeiros defensores destes ecossistemas”, afirmou. E a acrescentou que a Otchiva tem contribuído com os especialistas nos diversos sectores, para garantir a manutenção dos ecossistemas.

Leia o artigo completo na edição de Novembro, já disponível no aplicativo E&M para Android e em login (appeconomiaemercado.com).

Sonangol aims to transform resources into social welfare

Recently recognized for its involvement in socio-environmental development issues, Sonangol looks at renewable resources as a new bet and seeks to guarantee the well-being and sustainability of communities.

After signing a Memorandum of Understanding on the use of renewable energies with Italian IOC ENI in early October 2021 - which will allow Angola to take the first steps in transitioning to new and more environmentally-friendly energy sources -, Sonangol has recently entered into a partnership agreement with Total Eren and Greentech, aimed at finalizing the development and deployment of a project called “Quilemba Solar”. When operational, “Quilemba Solar” will enable significant savings in liquid fossil fuel and increase the capacity for clean energy production in southern Angola.

The MoU signed between ENI, ANPG (National Oil and Gas Agency) and Sonangol targeted agro-biofuel initiatives in Angola, as part of the decarbonization effort through a circular economy approach, assessing, in particular, the development of low ILUC (indirect land use change) crops such as castor beans on degraded land, and cover crops in rotation with cereals. As part of the MoU, the parties will also assess business opportunities in waste collection areas focused on reutilizing organic matter and exploring bio-refining.

Development and sustainability

Sonangol carries out a strategy centered on the sustainable development of communities, said environmental engineer Julião Messo, speaking at the E&M Conference on Environment and Development. In his opinion, the company’s commitment is to align its activities with the 17 Sustainable Development Goals (SDGs). Moreover, he noted, company’s actions are based on the sustainability tripod: economy, society and environment. “This is why the various Sonangol units carry out, every year, activities related to environmental education”, he continued, adding that these actions take place in collaboration with other organizations dedicated to environmental protection. This is the case of the partnership with the Otchiva Association. With Otchiva, clarified Julião Messo, Sonangol has supported the planting and preservation of mangrove areas in order to help reduce emissions of greenhouse gases. Also as part of this partnership, the company has “given and will continue to give support to communities to ensure that they are the first defenders of these ecosystems”. He commended Otchiva for working with experts in various fields to ensure the conservation of ecosystems.

Read the entire article in the November issue, now available on the E&M app for Android and on login (appeconomiaemercado.com).