3
1

Terminal Marítimo de Cabinda inicia operações em Julho de 2020

As actividades operativas no Terminal Marítimo de Cabinda começam em Julho deste ano, altura em que será concluída as obras do quebra-mar e da rampa de atracagem da infra-estrutura portuária.

1
2
Fotografia
:
DR

Para o ministro dos transportes, Ricardo de Abreu, que falava aos jornalistas recentemente, esse serviço reveste-se de importância estratégica, por vir colmatar uma “interrupção geográfica” que obriga o Executivo a criar novos mecanismos para o acesso à essa região mais ao Norte de Angola, por via marítima.

Durante a entrevista concedida à margem da visita do Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, o governante disse existirem esforços conjuntos com equipas envolvidas no projecto para, rapidamente, se dar início a operacionalidade do Terminal e do Ferryboat para o transporte de carga e de passageiros, no referido mês.

A concretização deste desiderato, de acordo com o ministro, dos Transportes, o Executivo conta com apoios de várias entidades dos departamentos e serviços do Ministério das Finanças e do Tribunal de Contas, que têm um papel crucial para a disponibilização dos recursos para assegurar o visto de grande parte dos contratos, com vista a colocar a infra-estrutura funcional em benefício das populações da província de Cabinda.

Para descongestionar a mobilidade de passageiros de Cabinda para o resto do país, o Executivo colocará a disposição da população o “Ferryboat-Cabinda”, embarcação para o transporte de passageiros e carga, nas rotas Luanda/Soyo/Cabinda e vice-versa, começa a operar efectivamente em Julho deste ano, sendo que já se encontra no Porto de Luanda, desde Dezembro de 2020.

A embarcação, segundo escreveu a Angop, tecnicamente tem cerca de 48 metros de comprimentos, capacidade para 60 passageiros, nove contentores e dez viaturas, para além de cargas diversas. Vai circular 20,5 milhas náuticas/hora de velocidade.

Segundo a agência nacional de notícias, o projecto do terminal, cuja implementação iniciou em 2017, contempla uma área protocolar, sala de embarque para 150 passageiros, igual número para a sala desembarque, uma sala VIP, zonas de bagagens, área técnica e instalações sanitárias e elevadores de acesso a todas áreas.

Já o “Quebra-Mar”, é a principal “armadura” servirá para proteger todas as infra-estruturas conexas, das calemas.

A obra em si do Terminal Marítimo traduz-se num Cais, de 340 metros de comprimento e 40 metros de largura, a rampa de atracagem do RO/RO (Ferryboat) com 30 metros de comprimento e 25 metros de largura, e o Cais de passageiros com 300 metros de comprimento e 12 de largura.

7
Assine a Revista Digital - Economia & MercadoAssine a Revista Digital - Economia & Mercado