1

Uma questão de segurança nacional

No primeiro trimestre de 2018, os preços dos bens agrícolas subiram 4%, o que representou a maior subida trimestral dos últimos dois anos, segundo que têm abalado a produção e, reduzido a oferta.

1
2
Fotografia
:
Carlos Aguiar

A tendência crescente dos preços dos produtos alimentares no mercado internacional deve ser encarada com a devida preocupação pelas autoridades angolanas, primeiro porque,efectivamente, o país não pode continuar a “negligenciar” divisas em bens e serviços que podem ser produzidos localmente; segundo porque, e mais importante, é necessário que se assegure a continuidade do fornecimento de alimento às populações.

Apesar do vasto potencial agrícola, Angola ainda não dispõe de capacidade interna de produção de bens alimentares, pelo que, tal como acontece com as oscilações do preço do petróleo no mercado internacional, a subida do preço dos alimentos nos principais fornecedores do país tem impacto negativo na economia nacional.

Leia mais na edição de Outubro de 2018.

Economia& Mercado - Quem lê, sabe mais!

7